sábado, 24 de julho de 2010

Maria do Socorro Santos

A dimensão maior de um projeto de vida

“Não devemos abrir mão daquilo que mais gostamos de fazer, seja o que for. Ao passar pelos sonhos mais difíceis, não devemos desistir de nada. Pois acredito muito no que cada um de nós escolheu para fazer e ter prazer, sem que nada nos impeça, não importa a idade. Não sei se posso chamar de terapia, mas uma coisa eu garanto: fazer um trabalho que a gente gosta é como se estivesse realizando cada minuto dos seus momentos mais felizes. Pois é assim que me sinto em cada uma das pinturas que faço.”                                        Maria do Socorro Santos
                                                
Maria do Socorro foi uma pintora e militante do movimento da luta antimanicomial. Em sua existência, viveu praticamente todas as formas de opressão, exclusão e discriminação: a de ter sido mulher, negra, migrada, pobre, de baixa escolaridade, sem família e sobretudo, paciente psiquiátrica. No processo recuperação, percebeu e desenvolveu suas aptidões pessoais, dentre as quais a de imensa solidariedade e formas de apoio mútuo para seus companheiros, os usuários de serviços, em suas dificuldades do dia a dia, e principalmente - a grande paixão de sua vida -, a pintura. A partir do final dos anos 90, da função expressiva e terapêutica, que Socorro vinha exercitando nas oficinas dos CAPS, a arte foi ganhando uma dimensão maior, de um projeto de vida, com aspirações profissionais.


                                           

Pintar passou a ser uma atividade diária, e Socorro foi desenvolvendo estilos muito pessoais. De forma natural, sem nunca ter visto os clássicos da pintura moderna, Socorro desenvolveu linguagens próprias que têm muitas semelhanças com Chagall, Guignard, Appel, Macke, Mikhail Larionov, entre outros. Suas pinturas são extraordinárias, causam um enorme impacto, e têm um alto valor estético. Socorro chegou a ter em vida algum reconhecimento, tendo trabalhos expostos em várias exibições, algumas de caráter nacional, além de ter disponibilizado seus trabalhos para capas de algumas publicações do campo da saúde mental.


O Projeto Maria do Socorro Santos

Com esta iniciativa, os, amigos de Maria do Socorro, querem continuar o seu projeto de vida: conservar e divulgar a sua obra, estimular a arte no campo da saúde mental em suas funções expressivas e terapêuticas, mas também como um projeto de vida e profissão possível para os usuários que desenvolverem suas habilidades neste campo, estimular a autonomia e o empoderamento dos usuários no campo da saúde menta, participar da luta antimanicomial.






Ibf.org / rubedo.psc.br / arteemter@gmail.com                                                                                                                                                       

Um comentário:

  1. Waw que lindos!!!! q traço marcante e único!
    Adorei!
    bjinhus

    ResponderExcluir